Posts filed under ‘Cultura’

O Futuro Chegou – 10 tendências da era Pós-Industrial em acordo a Domenico de Masi

Tive a felicidade de participar na semana passada de uma interessante palestra do Professor Domenico de Masi como parte do programa do REFLETIR BRASIL, iniciativa da Consultoria OCA REFLETIR BRASIL com a participação da Consultoria S3.STUDIUM, da Itália.

Em 2015, o tema do encontro foi UTOPIA E REALIDADE, com foco na qualidade de vida e no trabalho produtivo, de acordo com as exigências da era Pós-Industrial. A programação foi extensa e interessante, e um manifesto (resultado das diversas discussões, será publicado em breve no site: http://www.refletirbrasil.com – vale conferir.

empurra1900

O evento foi aberto com a palestra do Professor Domenico de Masi, uma espécie de “patrono” deste fórum. Animadíssimo e de muito bom humor; apesar do incessante ruído que brotava dos corredores do IED (Instituto Europeu de Design) em Higienópolis – São Paulo; o Professor De Masi brindou a platéia com uma interessante aula de sociologia sobre os períodos Pré-Industrial, Industrial e Pós-Industrial.

Sempre com sua perspicácia (que transparece em todas as suas obras, desde o best-seller “O Ócio Criativo” até o grosso volume chamado “O Futuro Começou”, De Masi foi driblando a precariedade da tradução simultânea do Italiano para o Português e o desconforto do auditório improvisado na bonita área de convivência da Escola. Alertou os Brasileiros sobre a grandeza do papel do país no cenário mundial com dados e brincadeiras inteligentes, sempre irreverente e preciso em suas observações.

Domenico De Masi

Domenico De Masi

De Masi discorreu sobre as características do Pós-Industrial, comentando suas bases intrínsecas, seus benefícios e mazelas. Ele fala com o otimismo daqueles que chegam a sua idade com tanta lucidez e consciência. Em hora e meia, deixou uma lição de claridade, atenção, alegria e perspicácia. Acredito que parte de sua palestra foi um curtíssimo resumo de sua obra bastante profunda chamada “O Futuro Chegou” – tradução de Marcelo Costa Sievers, 1a. edição, Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2014, 768 pgs. Depois, acrescentou suas previsões de futuro e seus conselhos para obter sucesso neste mundo mutante em que vivemos.

Para De Masi, existem 10 tendências para o mundo pós-industrial. Em acordo ás minhas anotações durante a sua palestra, podemos enumerá-las da seguinte forma:

TENDÊNCIA 1 - A LONGEVIDADE

TENDÊNCIA 1 – A LONGEVIDADE

1) LONGEVIDADE:

Seremos 8 bilhões de pessoas em muito pouco tempo. Além disso teremos mais de 1 bilhão de pessoas no mundo com mais de 65 anos e, além de tudo, vivendo com qualidade e felicidade; sendo muito produtivos. Nunca tivemos tanta “massa cerebral” experiente e bem formada sonhando e idealizando um mundo melhor! Novas idéias e visões virão. Teremos muitos benefícios como consequência desta tendência.

TENDÊNCIA 2 - TECNOLOGIA

TENDÊNCIA 2 – TECNOLOGIA

2) TECNOLOGIA

A velocidade já estonteante dos avanços tecnológicos em todas as áreas continuará a se multiplicar. Estaremos muito mais conectados, nossos corpos receberão avanços inimagináveis no campo da medicina e da farmácia, os chips estarão infinitamente mais rápidos, conviveremos com a inteligência artificial e com a interação real entre o homem e a máquina. O mundo será um lugar bastante pequeno e acessível e a telefonia móvel estará avançadíssima comparada com o que temos atualmente.

TENDÊNCIA 3 - ECONOMIA E DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

TENDÊNCIA 3 – ECONOMIA E DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

3) ECONOMIA:

Até 2030 o mundo terá crescido ao redor de 160% em comparação a 2015. Apesar disso, se o modelo social não se alterar a respeito do domínio do neo-liberalismo (sic), teremos uma maior concentração de riqueza que pode nos levar a consequências catastróficas, com o recrudescimento dos conflitos e das guerras emanadas desta situação de profunda desigualdade. A China será enorme e dominante, o modelo de capitalismo chinês será a nova tônica do mundo produtivo.

TENDÊNCIA 4 - TRABALHO

TENDÊNCIA 4 – TRABALHO

4) TRABALHO:

A produtividade aumentará exponencialmente nos próximos anos. Os horários deixarão definitivamente a divisão entre trabalho e lazer – estremos conectados 24 horas por dia – trabalhadores full time e full place. Teremos também, como consequência da enorme produtividade, um crescente número de “NEETS” (not engaged in education, employment or training). O fenômeno do consumo sem produção será muito maior. A China será a “fábrica” do mundo e a Índia será o “escritório” do mundo; em um fenômeno global de terceirização e trabalho em rede globalizada.

TENDÊNCIA 5 - LAZER

TENDÊNCIA 5 – LAZER

5) LAZER

O tempo livre das pessoas aumentará muito. É necessário iniciar a formação das pessoas sobre o uso de seu tempo livre do ponto de vista da curiosidade intelectual e cultural. Como será possível evitar o tédio, a violência e as drogas? Será preciso emprestar para o restante do planeta o conhecimento que tem o Brasil (e também a Itália e os demais países latinos) sobre rir mais e promover a prosperidade cultural de forma natural e constante.

TENDÊNCIA 6 - UBIQUIDADE E PLASMABILIDADE

TENDÊNCIA 6 – UBIQUIDADE E PLASMABILIDADE

6) UBIQUIDADE E PLASMABILIDADE

Em 2020 seremos uma única praça conectada contendo todo o ódio e o amor do planeta. Poderemos entrar em contato com qualquer pessoa, em qualquer ponto do planeta utilizando os mais diversos aparelhos tecnológicos. Correremos o risco de ficarmos muito obesos devido a falta de movimento, uma vez que tele-aprenderemos, tele-amaremos, tele-nos divertiremos, etc. Também poderemos sofrer com a falta de contato real com nossos semelhantes, uma vez que o virtual será o dominante em todas as relações.

TENDÊNCIA 7 - ÉTICA E ESTÉTICA

TENDÊNCIA 7 – ÉTICA E ESTÉTICA

7) ÉTICA E ESTÉTICA:

A qualidade funcional será um valor comum e obrigatório para qualquer produto; a vantagem competitiva estará centrada em valores éticos e estéticos. As marcas estarão preocupadas em serem reconhecidas como confiáveis e honestas, além de esteticamente perfeitas. Isso será tarefa bastante crítica em uma sociedade globalmente conectada e veloz. A reputação ética dos indivíduos será a base da sociedade de serviços. Assim como a sociedade industrial foi mais honesta e menos violenta do que a sociedade rural; a sociedade pós-industrial será mais honesta e menos violenta que aquela industrial. Portanto, os bens sucedidos serão os homens de bem. Para os atuais “falsos homens de bem” será muito difícil ter uma vida oculta, já que o conceito que temos de privacidade será aos poucos extinto pela exposição maciça e constante provocada pela conectividade crescente.

TENDÊNCIA 8 - EQUILÍBRIO

TENDÊNCIA 8 – EQUILÍBRIO

8) EQUILÍBRIO:

O mundo estará mais rico e mais desigual, o que acarretará muitos conflitos. A competitividade e a necessidade de um novo modelo forçará o desenvolvimento exequível, baseado no planejamento ecológico, econômico e social. A sustentabilidade deverá ser a tônica do sucesso, gerando um mundo mais consciente e equilibrado do ponto de vista do consumo e do conceito de felicidade. Essa tendência anda de mãos dadas com a tendência 7 da ética e estética. Para obter vantagem competitiva, além de belo e ético, deverá ser também sustentável de forma comprovada.

TENDÊNCIA 9 - CULTURA

TENDÊNCIA 9 – CULTURA

9) CULTURA:

A cultura digital vai superar a cultura analógica. Todos estarão conectados e todo o conhecimento estará disponível em um átimo de segundo. O grande desafio será a distribuição – de poder; de saber; de oportunidades; etc. A cultura será globalizada, o local dando colorido ao global. O global superará o local.

TENDÊNCIA 10 - ANDROGENIA

TENDÊNCIA 10 – ANDROGENIA

10) ANDROGENIA:

Em 2020 muitas mulheres terão um filho sem ter um marido; além de dominarem os aspectos masculinos que as escravizaram pelos últimos 10 mil anos. Elas irão gerenciar o poder com a dureza aprendida em seus tempos de submissão e estarão exatamente no centro do sistema social. Os valores hoje considerados femininos (estética, subjetividade, emotividade, flexibilidade) serão também dominados pelos homens. Ambos irão compartilhar a produção e os cuidados humanos. A androgenia irá prevalecer nos estilos de vida.

Além dessas previsões, Domenico de Masi também diz que o Brasil tem muito a ensinar ao mundo. Isso baseado em suas teorias sobre o ócio criativo e o novo modelo de sociedade que vislumbra para o futuro bastante próximo. Em meio a tanta desconfiança e desânimo sobre o modelo Brasileiro de sociedade, as palavras do professor parecem alertar a tomada de consciência sobre as oportunidades que temos em nossas mãos – agora mesmo!

brasil futuro

Em seu livro, De Masi explica o Brasil atual e sua confusão: “A contaminação consumista do modelo estadunidense já conquistou muitos aspectos da vida urbana brasileira e triunfa também no mundo dos negócios, monopolizado pelo pensamento, pelos mestres, pelos livros de negócios das business schools bostoniana e californiana. A isso deve ser acrescentada a tentação de ceder às obtusas exigências do mercado externo que inúmeras vezes solicita os piores aspectos da brasilidade: o excesso cromático e sonoro, a sensualidade desregulada, o exotismo provinciano, a dissipação do patrimônio natural, a que podem acrescentar-se a falta de autoestima, xenofilia, o escasso sentido do público, o recurso à astúcia como substituta da inteligência, a pouca confiabilidade.”

Indo além afirma: “Porém, não obstante o traço colonizador da Europa e dos Estados Unidos, o Brasil permanece o Brasil e os aspectos originais e melhores da brasilidade continuam a prevalecer sobre os importados e negativos.”

De Masi discorre sobre as palavras de Oscar Niemeyer a respeito da flexibilidade necessária para olhar o mundo. “Viva a curva!” diz o arquiteto, sublimando os aspectos flexíveis da sensualidade, da natureza traduzida nas formas das nuvens, nas curvas do mar e das montanhas e mulheres do Brasil. Conclui De Masi que este estilo de vida; e de maneira de olhar e compreender o mundo; é o que o Brasil tem como legado para toda a humanidade da era pós-industrial.

Complementando sua palestra, veja os “conselhos” deixados por De Masi para prosperar como indivíduo na nova era pós-industrial:

1) Reduza sua resistência a mudanças

2) Incentive o seu espírito criativo

3) Exercite sempre a liderança carismática

4) Envolva a todos na missão

5) Conjugue global e local

6) Cuide muito e sempre da estética de todos os lugares e coisas

7) Cuide sempre do comportamento ético e da gentileza em todas as suas ações

8) Dê sempre sentido a tudo que você faz

Um palestrante ilustre, inteligente e inspirado; com idéias positivas e incentivadoras. Como anda sua consciência para a era pós-industrial?

Anúncios

04/05/2015 at 21:28 10 comentários

A arte de Valentina Monteiro

Pura magia e coração.

Veja o vídeo e inspire-se.

Contatos com a Artista:

Valentinamonteiro@live.com

13/01/2014 at 15:48 Deixe um comentário

Spider Rock – Arizona – USA

Spider Rock - 2013 Foto Sergio Tango

Spider Rock – 2013
Foto Sergio Tango

Spider Rock stands with awesome dignity and beauty over 800 feet high in Arizona’s colourful Canyon de Chelly National Park (pronounced da Shay). Geologists of the National Park Service say that “the formation began 230 million years ago.
Windblown sand swirled and compressed with time created the spectacular red sandstone monolith. Long ago, the Dine (Navajo) Indian tribe named it Spider Rock.
Stratified, multicolored cliff walls surround the canyon. For many, many centuries the Dine (Navajo) built caves and lived in these cliffs. Most of the caves were located high above the canyon floor, protecting them from enemies and flash floods.
Spider Woman possessed supernatural power at the time of creation, when Dine (Navajo) emerged from the third world into this fourth world.
At that time, monsters roamed the land and killed many people. Since Spider Woman loved the people, she gave power for Monster- Slayer and Child-Born-of-Water to search for the Sun-God who was their father. When they found him, Sun-God showed them how to destroy all the monsters on land and in the water.
Because she preserved their people, Dine (Navajo) established Spider Woman among their most important and honoured Deities.
She chose the top of Spider Rock for her home. It was Spider Woman who taught Dine (Navajo) ancestors of long ago the art of weaving upon a loom. She told them, “My husband, Spider Man, constructed the weaving loom making the cross poles of sky and earth cords to support the structure; the warp sticks of sun rays, lengthwise to cross the woof; the healds of rock crystal and sheet lightning, to maintain original condition of fibres. For the batten, he chose a sun halo to seal joints, and for the comb he chose a white shell to clean strands in a combing manner.” Through many generations, the Dine (Navajo) have always been accomplished weavers.
From their elders, Dine (Navajo) children heard warnings that if they did not behave themselves, Spider Woman would let down her web- ladder and carry them up to her home and devour them!
The children also heard that the top of Spider Rock was white from the sun-bleached bones of Dine (Navajo) children who did not behave themselves!
One day, a peaceful cave-dwelling Dine (Navajo) youth was hunting in Dead Man’s Canyon, a branch of Canyon de Chelly. Suddenly, he saw an enemy tribesman who chased him deeper into the canyon. As the peaceful Dine (Navajo) ran, he looked quickly from side to side, searching for a place to hide or to escape.
Directly in front of him stood the giant obelisk-like Spider Rock. What could he do? He knew it was too difficult for him to climb. He was near exhaustion. Suddenly, before his eyes he saw a silken cord hanging down from the top of the rock tower.
The Dine (Navajo) youth grasped the magic cord. which seemed strong enough, and quickly tied it around his waist. With its help he climbed the tall tower, escaping from his enemy who then gave up the chase.
When the peaceful Dine (Navajo) reached the top, he stretched out to rest. There he discovered a most pleasant place with eagle’s eggs to eat and the night’s dew to drink.
Imagine his surprise when he learned that his rescuer was Spider Woman! She told him how she had seen him and his predicament. She showed him how she made her strong web-cord and anchored one end of it to a point of rock. She showed him how she let down the rest of her web-cord to help him to climb the rugged Spider Rock.
Later, when the peaceful Dine (Navajo) youth felt assured his enemy was gone, he thanked Spider Woman warmly and he safely descended to the canyon floor by using her magic cord. He ran home as fast as he could run, reporting to his tribe how his life was saved by Spider Woman!

Spider Woman's house - foto Sergio Tango

Spider Woman’s house – foto Sergio Tango

Contact: webmaster@indianlegend.com
Design and layout © 2003 http://www.indianlegend.com/ All legends have been
edited from historical documents and are believed to be in the public domain.
Last modified: May 13, 2003

20/10/2013 at 23:40 Deixe um comentário

Atriz

Imagem

Olha,

Será que é uma foto?

Será que é miopia?

Será que é miragem?

Olha,

Será que é azul?

Será verdade a verdade que vi?

Será coragem olhar o seu mar?

Queria ver o ato esquecido,

Morar no ventre,

Cantar na varanda,

Entrar na poesia.

Olha,

Será que entendo?

Será que é fantástico?

Será uma ilusão?

Sinto no rosto o sopro da solidão,

Sinto na pele o vermelho comichão,

Sinto no braço o apoio esquecido

Sinto na boca um aluvião

Olha,

Será que mereço?

Será a bondade?

Será o tropeço?

A minha vida esvai no concreto

A minha alma reluz no clarão

E a minha luz é como deserto

Vale,

Andar abraçado,

Comer apressado,

Sentir o coração.

Sente,

A pele molhada,

A boca apertada,

O hálito calado.

Limpa,

O poço profundo,

A lama escondida,

O prato abusado.

Cala,

A palavra perdida,

A chama apagada,

O mundo de sombra.

Gira,

O meu desencanto,

O seu acalanto,

O nosso pião.

O meu umbigo é quase o seu,

A minha pele o seu abrigo,

O meu joelho dobra contigo.

Imagem

A vida vale com uma atriz.

A vida corre como um chafariz.

O meu amor transborda em gole infeliz.

Vibra,

É quase doença,

É água revolta,

É sede de paz.

Salta,

É mundo feliz,

É mesmo uma atriz,

É bandeira azul ao vento

Sou uma mostra de peito feliz

um sopro verde de sonho de atriz.

Para sempre é sempre por um triz.

E se eu pudesse entrar na sua vida…..

Sergio Tango, 30 de abril de 2013 (com alguns “empréstimos” da linda poesia BEATRIZ de Chico Buarque e Edu Lobo)

30/04/2013 at 12:47 1 comentário

BREVIÁRIO – Valentina Monteiro

Imagem

Breve é o trailler daquele filme que quero tanto assistir,
mas não sei quando.
É também breve aquele que já vi há uma semana
e que insiste em ficar aderido à minha pele,
desde o avesso, transitando pelas minhas veias.
Breve é a distância entre dois pontos que não alcanço enxergar,
já que tende ao infinito.
É antes, linha tênue e sinuosa
que navega ao fluir do vento.
Uma paixão é breve.
Breve é uma vida –
desalinho do destino.
Breve, é um vôo pra longe,
uma saudade que teima e teima,
mas que um dia se esvai.
Breve é a juventude.
Breve é a beleza.
Breve é o ato de abrir a gaiola
e deixar ir todos os pássaros.
Breve é a cópula entre dois olhares.
Breve, é a palavra dita ou escrita
e o que dela permaneceu.
Breve é a manhã ensolarada de domingo
enquanto dormias.
Breve é o poema que sussurrei em teu ouvido.
Breve foi o instante em que nossos olhares se enfrentara,
cada um, espelho do outro.
Breve é o momento do abandono.
Breve foi  o cruzar dos nossos caminhos.
Foi o encontro com meu próprio silêncio;
íntimo deserto.
Breve, é uma palavra que alguém inventou
por não ousar dizer a verdade.
Breve é ilusão.
Breve não existe.

VALENTINA MONTEIRO – Agosto de 2012

12/08/2012 at 17:55 Deixe um comentário

Lugares são especiais sempre, alguns lugares são sempre especiais.

Uma cena em Paris – foto S Tango

Paris ficou mais mágica depois do último filme do Woody Allen…

Isso é possível?
 
Lugares são especiais sempre, mas alguns lugares são sempre especiais.
A mágica de uma cena urbana pode ser medida pela poesia que escorre das cores, contrastes e nuances. Paris é única e é de todos.
Pare para saborear a mágica das ruas meio sujas e desleixadas quase que de propósito. Ande ao sabor do sol na primavera ou do vento do inverno cinza. Olhe para cima e para baixo, para cada traço de história, charme e cheiro azedo de sujeira do metrô. Divirta-se com os garçons tirando sarro do seu pedido e se delicie com um café mal tirado mas super bem-vindo no intervalo das enormes caminhadas pelas ruas belíssimas.
Perfumada e mística – solta e maravilhosa. Incríveis paisagens, incríveis pessoas por todo o lado – com milhares de câmaras fotográficas congelando o deslumbramento, sem parar, todo dia, toda noite.
Paris é uma festa de passado, futuro e eternidade. Um oásis seco, uma ilha que não é deserta. Um farol do mundo, meio fora dele e completamente representativo dele.
Simplesmente um lugar sempre especial.
 
Não viva sem ir a Paris. Não morra sem encantar-se com ela.
 

Uma cena em Paris - foto S Tango

 
Setup Ouvidoria & Soluções
 
 

27/08/2011 at 21:09 2 comentários

Somos Terra – Exposição convida o sentir a vida na Terra

Exposição Somos Terra - Parque do Ibirapuera, São Paulo, 4 de junho a 10 de setembro de 2011

 

Neste ano, a IFF está patrocinando um livro interessantíssimo sobre a nossa relação com nosso planeta e com a sustentabilidade da vida. Trata-se do livro Somos Terra, de Ana Augusta Rocha. Este projeto, é bem mais amplo que apenas a edição deste maravilhoso livro, na verdade o livro é um dos componentes da Exposição Somos Terra. Abaixo transcrevo o texto de divulgação da exposição. Vale a pena conferir:
 
Idealizada pela jornalista Ana Augusta Rocha, este projeto é uma maneira de conhecer a vida na Terra. A Exposição, que acontece de 4 de junho a 10 de setembro na sede da UMAPAZ, localizada no Parque Ibirapuera, em São Paulo, conta a tragetória de tudo que faz parte do universo e forma o planeta Terra. De forma interativa, crianças e adultos passeiam pelos diversos estágios como ar, água, terra, flores e folhas. “A vida acontece toda em encadeamento, cada uma precisando da outra para viver em equilíbrio. E nós, humanos precisando de todos os seres pulsando em conjunto para a manutenção de nossa vida. Quando algum elo é quebrado, os problemas ambientais podem ficar imensos.” diz Ana Augusta Rocha, criadora do projeto através de sua Empresa, a Auana Editora.

 

A exposição Somos Terra é um convite a sentir nosso planeta vivo e pulsando. Uma instalação artística que busca através do sensorial, das cores e das luzes, criar uma experiência de encantamento pela natureza. Seus jogos e games interativos propõe uma conexão com o mundo natural através do lúdico e do divertimento. “Ao percebermos a pulsação de toda a vida – da água, do céu, das árvores e dos animais – passamos a nos relacionar de uma forma diferente com tudo, com mais envolvimento, com mais respeito, de uma forma colaborativa”, afirma Ana Augusta.

Somos Terra ocupa uma área de aproximadamente 500 m2 na sede da UMAPAZ – Universidade do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – ligada a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente do Munícipio de São Paulo. A exposição fará parte da Virada Sustentável e foi criada pelo cenógrafo Marko Brajovic e equipe. Com cores e tecnologia, ele privelegia a arquitetura biomimética, que estuda as estruturas biológicas da natureza e suas funções.

Trecho do livro "Somos Terra" de Ana Augusta Rocha

Passo a passo para a Exposição:

Sala da Vida: através de projeções saberemos sobre a formação do Universo e do nosso Sistema Solar chegando a vida na Terra. *Sala da Água – os visitantes poderão interagir com o planeta, tocando-o. A Terra através de um iPad gigante.

Sala da Floresta: depois de “encontrar” (virtualmente) com um homem que habita as matas do Brasil e ouvir sobre a sua experiência de vida, os visitantes poderão interagir com a floresta e ficar “de olho no olho” com alguns animais.

Sala do Micro e do Macro: os visitantes se tornarão cientistas e descobrirão, olhando microscópios científicos, padrões da natureza. Depois serão convidados a ver que estes padrões são muito parecidos com o que vemos com os potentes telescópios que apontam para o Universo.

Sala das Conexões: a interação dos visitantes com uma pequena árvore criará música e cor na sala. “A música do encontro”, diz Ana.

Ao redor destas salas estarão disponíveis os conteúdos do livro que foi criado para o evento e será distribuido para os visitantes (alunos e professores). Também ao redor das salas os visitantes poderão sentir diversos perfumes e aromas da natureza, em dispositivos preparados especialmente para isso pela IFF (International Flavors & Fragrances).

Na saída, encontra-se a “Arvore dos Desejos”, onde os visitantes das escolas poderão depositar suas mensagens com seus desejos para o nosso planeta.

A entrada é gratuita.

UMAPAZ – Parque Ibirapuera – Av. IV Centenário, 1268, CEP 04030-000, São Paulo, SP tel: (11) 5572 8037, 5572 1004

De terça a domingo, 4/6/2011 a 10/9/2011; das 10h às 17h.

Não deixe de conferir!!

SETUP Ouvidoria & Soluções

setango@windowslive.com

 

 

12/06/2011 at 16:53 Deixe um comentário

Posts antigos


Agenda

outubro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Posts by Month

Posts by Category